quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Sob a sombra de Saturno. As dores e as transformações do masculino.

Olha, o livro do  James Hollis,  “Sob a sombra de Saturno”, edição já esgotada,  traz uma visão arquetípica muitíssimo interessante das dores do masculino e a possibilidade de sua transformação.
Faço a seguir, com liberdade,  um resumo desse livro.
“ Saturno era o deus romano da agricultura.  Ele odiava os filhos por temer o potencial deles,  e comia os próprios filhos.  A única criança que conseguiu escapar dessa tragédia foi Zeus, que por sua vez liderou uma revolta contra o seu próprio pai, vencendo-o. Também ele se tornou prisioneiro do complexo de poder e tornou-se dominador.  A história de Saturno envolve poder, ciúme, insegurança e violência.
A maioria dos homens ao longo da história cresceu sob a sombra desse legado saturnino. Sofreu com a corrupção do poder, movidos pelo medo, ferindo a si e a seus semelhantes. Os 8 segredos que os homens carregam são os seguintes >
1.            A vida dos homens é tão governada por expectativas restritivas com relação ao papel que devem desempenhar quanto a vida das mulheres
2.            A vida dos homens é basicamente governada pelo medo
3.            O poder do feminino é imenso na organização psíquica do homem
4.            Os homens conluiam-se numa conspiração de silêncio cujo objetivo é reprimir sua verdade emocional
5.            O ferimento é necessário porque os homens precisam abandonar a Mãe e transcender o complexo materno
6.            A vida dos homens é violenta porque suas almas foram violadas
7.            Todo homem carrega consigo profundo anseio pelo seu pai e pelos seus Pais tribais
8.            Para que os homens fiquem curados, precisam ativar dentro de si o que não receberam do exterior 
A maior tragédia para os homens no que diz respeito ao princípio feminino é que seu medo separa-os da própria anima, o princípio do relacionamento, do sentimento e da ligação com a força vital. Uma das maiores tarefas evolutivas do homem é alcançar a separação saudável do vínculo com a sua mãe pessoal. Veja a seguir exemplos de situações em que “o homem ainda não saiu de casa”.
. o homem que fantasia que sua esposa está se divertindo com outro
. o homem que se enfurece com sua esposa inadequadamente protetora
. o homem que telefona para sua esposa a cada dia e noite quando se ausente em viagem
. o homem mulherengo, que menospreza as mulheres e ataca os homossexuais
. o homem que tenta agradar a sua parceira não dando atenção aos próprios interesses
Todos eles estão ainda apegados à experiência mãe-filho, e não estão em contato com a própria alma.O patriacardo é artifício cultural, invenção que procura compensar a impotência do homem.
Enquanto não se tornar consciente dos efeitos do seu complexo materno, o homem se envolverá em relacionamentos perturbados, e não se tornará  um adulto. Toda a carência da criança interior permanece ativa no presente, bem como seu medo de que o poder da mãe domine-o ou abandone-o.
A seguir são enumerados 7 passos em direção à cura pessoal.
1.            Relembre a perda dos pais
2.            Conte os segredos
3.            Procure mentores e sirva de mentor a terceiros
4.            Corra o risco de amar os homens
5.            Cure-se a si mesmo
6.            Retome a jornada da alma
7.            Participe da revolução (revolução silenciosa, sem discursos em praças públicas, começando em casa, internamente nos homens). “
Bem, será que nos identificamos em alguma medida dessa visão, pergunto.  E conseguimos identificar medo, dependência, coragem...
Em direção à jornada de nossa alma temos que arregaçar as mangas, e quanto mais cedo melhor. E adentrarmos pelo terreno das emoções. As mulheres têm mais facilidade neste aspect, claro, mas o nosso potencial existe e está aí para ser explorado.
A minha convicção é que seria muito importante voltarmos a nossa atenção para os aspectos inconscientes – individuais e coletivos – para buscarmos entender e transformar as nossas crenças, emoções e pensamentos,  com vistas a trilharmos uma vida com mais verdade. Os relacionamentos, via de consequência,  tenderão a seguir esse caminho.
Limparmos -- tanto quanto possível ainda na atual  “encadernação”...rs  --  os nossos bloqueios, couraças e dependências psíquicas . E, em paralelo,  fazermos uma conexão spiritual  com o Todo.
Nada muito original essa receita, muitos poderão dizer. Mas extremamente difícil e que requer, entre outras coisas, coragem, disciplina e abertura !

Um abraço
Arnaldo

8 comentários:

  1. Querido amigo! Que texto lindo e que propósito maravilhoso e desafiador! Parabéns pela iniciativa e que muitos homens e consequentemente mulheres, beneficiem-se do seu trabalho! Um abraço carinhoso

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Thianne, pelo estímulo e tantas dicas. Conto com a sua ajuda ! Um abraço grande.

    ResponderExcluir
  3. Caro Arnaldo seus textos sao um alento.. Sou um desses que já nasceu sem entender pq todos eram agressivos e pq eu tb deveria ser! Porém só aos 22anos pude perceber os muits dilemas que ja existiam em nossa espécie humana, e que ja os sofria sem perceber.. E após algumas frustrações, finalmente entendi que em algo eu estava certo, posso sentir sem culpa e sem receios! Porém agora tornou-se tarefa dura! De todo modo, sigamos todos em busca do verdadeiro crescimento humano!

    ResponderExcluir
  4. Este livro tbm pode se endereçar para gays?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos temos dentro de nós o masculino e o feminino, não importa a orientação sexual. E precisamos aprender a lidar com essas dimensões para encontrarmos nossa integridade dentro e fora, nas nossas relações.

      Excluir
  5. Até que eu estava interessado em ler mas, depois desse seu texto, ficou claro que é mais uma bobagem falando sobre "crise da masculinidade". Vão se catar, feministas!

    ResponderExcluir
  6. Adorei seu texto, Arnaldo!
    Vou em busca do seu livro.
    🙏

    ResponderExcluir